Sorvete de Chocolate

Sorvete de Chocolate ao leite (Fonte – Larousse do Chocolate)

Ingredientes:
– 200 g de chocolate meio amargo em barra (se quiser fazer branco, é só substituir).
– 1/2 litro de leite integral
– 4 gemas
– 30g de açúcar
– 70ml de creme de leite fresco.

Como fazemos?
Picar bem o chocolate. Fever o leite e o creme de leite juntos. Misturar em um recipiente as gemas e o açúcar peneirado.
Quando o leite ferver, juntar a mistura dos ovos e 2/3 do chocolate picado e mexer bem.
Deixe cozinhando em fogo bem baixo, mexendo sem parar, desligar assim que engrossar e ficar bem cremoso. Bater com um mixer. Quando esfriar, colocar as raspas restastes.
Pode ser colocado na sorveteira por 30 min ou caso você não tenha a sorveteira é preciso bater bastante o sorvete, o processo é assim: coloque no freezer ou congelador, quando estiver congelando, bater com a batedeira (ou a mão), repetir até ficar a seu gosto.

Abraços,

Anúncios

Doce de leite de microondas

A pedidos 😛

Ingredientes:
– 1/2 lata de leite condensado
– 1/4 de xícara* de açúcar
– 1 colhe de chá de manteiga

Instruções:
Colocar o leite condensado numa vasilha bem grande e funda (pois ao ferver, a massa irá subir). Misturar todos os ingredientes. Levar primeiramente por 2 minutos na potência anterior à mais alta. Retire do formo (com luvas!!!) e mexa bem. Agora, na potência mais alta, deixe por 3 minutos. Assim que acabar este tempo, espere um pouco, antes de retirar do forno. O creme vai estar ainda borbulhando e pouco dourado. Imediatamente misture vagorosamente e por um tempo enquanto esfria, até ficar com aparência cremosa, brilhante e dourada. Cubra imediatamente o bolo, pois o doce irá endurecer logo. Bom apetite!

P.S.: A temperatura varia para cada forno de microondas. Sendo assim, se o que possuem for muito potente, o melhor é usar temperatura mais baixa para a primeira vez que fizer este doce. Assim, se ele ainda não estiver pronto, levar a cozer por mais 1 minuto(ou mais, se necessário).

Beijos e se acabem no final de semana.


Como se ama?

Há quem ame com ingenuidade, enchendo os dias de sonhos românticos e colocando todas as fichas de felicidade nas mãos da outra pessoa.

Há quem ame com dedicação, entregando-se como quem se joga em um abismo de olhos fechados, colocando-se inteiro para o outro, cuidando da relação como se nada mais houvesse a ser feito na vida.

Há quem ame com medo, procurando, inutilmente, manter-se a salvo do sofrimento, agarrando-se ao mínimo lampejo de segurança pessoal, tentando salvar-se dos respingos coloridos e doloridos do amor.

Há quem ame com delicadeza, esperando os tempos do outro, mantendo-se como presença suave e constante, mantendo-se calmo e contemplativo.

Há quem ame com inteligência, juntando dados, planejando coisas, traçando metas e caminhos, avaliando, fazendo contas e investindo na conversa e no acerto racional entre as partes.

Há quem ame com ciúme, querendo todos os olhares e atenção da pessoa amada para si mesmo, inseguro, com medo da perda.

Há quem ame com melancolia, escolhendo e fazendo histórias sofridas de abandono, dor e choro, fazendo do amor com a dor a rima mais sonora e mais difícil de todas as rimas possíveis.

Há quem ame com ilusão, preferindo ficar distante, não submetendo o amor ao delicioso e complicado teste de realidade que valide ou invalide o sentimento.

Há quem ame com ousadia, quebrando padrões, rejeitando regras, desprezando qualquer tipo de controle ou submissão que impeça o amor de acontecer e manifestar-se de sua maneira mais completa.

Há quem ame com loucura, perdendo a razão, consumindo seu tempo e sua energia tentando realizar a obsessão forte e incontrolável de ter o ser amado todo e sempre para si, não importa como.

Há quem ame com desejo, querendo estar dentro da outra pessoa, colado a ela, ansiando e conhecendo na própria carne todo o prazer que o amor pode oferecer.

Há quem ame com violência, agredindo, machucando, diminuindo, ferindo, magoando, tentando acostumar o outro a dependências e dores que o mantenham por perto.

Há quem ame com alegria, curtindo a presença, dividindo, conversando, divertindo, entretendo, apostando no lado mais amigo e companheiro do amor.

Há quem ame com esperança, fazendo planos para o futuro, esperando sempre o melhor, acreditando mesmo quando tudo parece complicado.

Há quem ame com saudade, preso ao passado, tentando agarrar-se a quem já foi.

Impossível dizer qual tipo de amor é mais pleno. Impossível escolher de que jeito é melhor amar. Impossível acreditar que se vá amar alguém de uma só maneira. Impossível achar que amamos pessoas diferentes da mesma forma.

O amor é prêmio para poucos. Porque, seja de que jeito for… Só é possível amar com coragem.

“Qualquer maneira de amor vale a pena, qualquer maneira de amor vale amar.”


O bolo de aipim da Bisa

To sem tempo pra psotar.
Ainda esse trabalho, consumindo todo e qualquer tempo livre que ainda tenho.
O trabalho é tanto que deve ter umas 2 semanas que não cozinho nada em casa.

Domingo, é sagrado. Dia de feira.

Cheguei em casa e percebi que o aipim que eu tinha comprado nem tava tão bom assim, sabe meio passadinho, é .. eu erro as vezes :P.
Logo lembrei do super bolo de aipim, receita da minha bisavó, que passou pra avó, que passou pra mãe, que passou pra mim… E que eu provavelmente passarei para minha filha e assim por diante.
É bastante parecido com a paçoca da bisa, o doce de abóbora da bisa, a caçarola da bisa, doce de banana da bisa e assim por diante, são os doces que vão passando pelas gerações, e no momento, eu sou a encarregada a prepara-los.

Vamos a receita:
Você vai precisar de:
1 quilo de aipim.
2 ovos
1 prato fundo de coco ralado (Oi?!? … Isso mesmo, pegue 1 cocô médio e rale no ralo grosso)
1 prato fundo de açúcar
1 colher bem cheia de manteiga.

Modo de preparo:
Ralar o aipim cru no ralo grosso.
Misturar o restante dos ingredientes
Untar uma forma média com manteiga somente
Forno médio por aproximadamente 35 min.

Dicas: A receita sempre é proporcional: Meio quilo de aipim, 1 ovo, meio prato de cada coisa aí acima.
Pode trocar o açúcar pelo leite condensado .. Eu não troquei, porque prefiro a lembrança da bisavó.
Pode polvilhar açúcar na forma depois de passar a manteiga, isso proporciona um crocantezinho lá longe sabe.

Então,
se joguem no bolinho.
Até um dia, quando esse projeto que eu estou acabar 🙂

Bolo Aipim

obs: foto do google, meu bolo acabou tão rápido, que eu nem me lembro de ter esperado esfriar.